sexta-feira, 26 de junho de 2015

Oficina: Jardinagem/Agricultura doméstica - 04/07/2015 (Sábado) das 16h às 18h

Suco de Garden-All (Limão, capim-santo e hortelãs)
Kits de compostagem com minhocas (R$ 50,00 cada kit)

"Num mundo imposto, comida vira lixo. Num mundo oposto, lixo vira comida. Para um mundo imposto, um mundo oposto."


A oficina sobre jardinagem faz parte da série de oficinas "Do meu lixo cuido eu". Nela abordo a jardinagem/agricultura urbana/agricultura doméstica, como uma das muitas ações derivadas de um manejo mais adequado do lixo doméstico. Durante essa oficina apresento, inicialmente, a compostagem e algumas de suas grandes funções: estimular uma revisão dos hábitos de consumo e alimentação; diminuir a produção e emissão de lixo e produzir o próprio adubo a ser usado no cultivo das hortaliças. Apresento um kit feito com baldes reaproveitados da construção civil e que torna possível fazer a compostagem em pequenos espaços, até mesmo em apartamentos.

Seguindo, mostro a dinâmica de um jardim (por menor que seja) e as etapas envolvidas na construção de um. Mostro alguns substratos comerciais, suas características, vantagens e desvantagens; como adquirir sementes e como germiná-las; falo de fatores como incidência de luz e disponibilidade de água; como montar vasos (explorando a reutilização de diversos recipientes); como fazer transplante de mudas, adubação; apresento acessórios, dificuldades com a falta de espaço, possibilidades de solução e, ainda, um método de rega tanto para germinação de sementes quanto para vasos definitivos que funciona por capilaridade, cujas principais vantagens são a redução do uso de água (rega apenas uma vez por semana) e, consequentemente, a redução do tempo gasto com os cuidados.

Comento ainda sobre erros mais comuns e também sobre pragas mais comuns, o que elas são, como entendê-las, o que fazer, o que não fazer para combatê-las e como deixar um jardim mais forte e resistente. Tudo isso pensando no cultivo em pequenos espaços, mostrando que é possível, sim, cultivar algumas plantas no contexto das nossas casas, mesmo com todas as limitações. Durante toda a atividade provaremos as plantas disponíveis no jardim como hortelã-vicky (ou menta), manjericão-limão, rúcula, vinagreira, cebolinha e outras. Ao final do encontro será servido o famoso lanche que tem rendido muitas fotos e pedidos de receitas (hahaha). Nesse lanche são servidos pães de fermentação natural feitos em casa (tema de outra oficina), bolo (sem trigo) de macaxeira adquirida no sub-mercado (conversa para outra oficina) e o famoso suco de garden-all feito com alguns ingredientes do jardim.

Onde: Minha casa no Mondubim. Um dia antes envio e-mail para os inscritos com endereço, mapinha e detalhes.
Quando: Sábado, dia 04/07/2015. Das 16h às 18h.
Quanto: R$ 30,00 (trinta reais) por pessoa. Entrar em contato por email ou telefone (no fim do texto) para realizar depósito e garantir a vaga.

Coisas à venda no dia

Sementes: R$ 4,00 o pacote.
Mudas de plantas: R$ 3,00 (cada).
Kits de compostagem (já com minhocas): R$ 50,00
Pães com fermentação natural: Entre R$ 5,00 e R$ 10,00
Bolo de macaxeira sem trigo (inteiros e porções): Entre R$ 5,00 e R$ 30,00

Coloquei poucas fotos aqui para o texto não ficar maior do que já está, mas clicando nos links abaixo vocês poderão ver centenas delas.


--
hugo lucena theophilo
Cel: 9 9700-8231
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

sexta-feira, 12 de junho de 2015

O que é (ess)a vida?

O que acontece com o privilegiado dessa geração que antes dos 40 tem casa e carro quitados, necessidades supridas (inclusive as desnecessárias), conforto, boa alimentação, saúde, acesso ao lazer que quiser e renda pra continuar tendo...mas é infeliz se o seu carro não é do ano ou se é mais velho que o dos amigos? O que produz esse insatisfação? Por onde se passa até chegar a esse ponto? Em que ponto começou essa inversão que em vez de produzir coisas que suprem as necessidades da vida, produz vidas que suprem as necessidades das coisas? O que é a vida para quem sofre de tal infelicidade?

--
hugo lucena theophilo
http://hugotheophilo.blogspot.com
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Oficina: Jardinagem - 20/06/2015 (Sábado) das 16h às 18h




A oficina sobre jardinagem faz parte da série de oficinas "Do meu lixo cuido eu". Nela abordo a jardinagem/agricultura urbana/agricultura doméstica, como uma das muitas ações derivadas de um manejo mais adequado do lixo doméstico. Durante essa oficina apresento, inicialmente, a compostagem e algumas de suas grandes funções: estimular uma revisão dos hábitos de consumo e alimentação; diminuir a produção e emissão de lixo e produzir o próprio adubo a ser usado no cultivo das hortaliças. Apresento um kit feito com baldes reaproveitados da construção civil e que torna possível fazer a compostagem em pequenos espaços, até mesmo em apartamentos.

Seguindo, mostro a dinâmica de um jardim (por menor que seja) e as etapas envolvidas na construção de um. Mostro alguns substratos comerciais, suas características, vantagens e desvantagens; como adquirir sementes e como germiná-las; falo de fatores como incidência de luz e disponibilidade de água; como montar vasos (explorando a reutilização de diversos recipientes); como fazer transplante de mudas, adubação; apresento acessórios, dificuldades com a falta de espaço, possibilidades de solução e, ainda, um método de rega tanto para germinação de sementes quanto para vasos definitivos que funciona por capilaridade, cujas principais vantagens são a redução do uso de água (rega apenas uma vez por semana) e, consequentemente, a redução do tempo gasto com os cuidados.

Comento ainda sobre erros mais comuns e também sobre pragas mais comuns, o que elas são, como entendê-las, o que fazer, o que não fazer para combatê-las e como deixar um jardim mais forte e resistente. Tudo isso pensando no cultivo em pequenos espaços, mostrando que é possível, sim, cultivar algumas plantas no contexto das nossas casas, mesmo com todas as limitações. Durante toda a atividade provaremos as plantas disponíveis no jardim como hortelã-vicky (ou menta), manjericão-limão, rúcula, vinagreira, cebolinha e outras. Ao final do encontro será servido o famoso lanche que tem rendido muitas fotos e pedidos de receitas (hahaha). Nesse lanche são servidos pães de fermentação natural feitos em casa (tema de outra oficina), bolo (sem trigo) de macaxeira adquirida no sub-mercado (conversa para outra oficina) e o famoso suco de garden-all feito com alguns ingredientes do jardim.

Onde: Minha casa no Mondubim. Um dia antes envio e-mail para os inscritos com endereço, mapinha e detalhes.
Quando: Sábado, dia 20/06/2015. Das 16h às 18h.
Quanto: R$ 30,00 (trinta reais) por pessoa. Entrar em contato por email ou telefone (no fim do texto) para realizar depósito e garantir a vaga.

Coisas à venda no dia

Sementes: Preço a definir.
Mudas de plantas: R$ 3,00 (cada).
Kits de compostagem (já com minhocas): R$ 50,00
Pães com fermentação natural: Entre R$ 5,00 e R$ 10,00

Não vou colar fotos aqui como das outras vezes, para o email não ficar maior do que já está, mas clicando nos links abaixo vocês poderão ver centenas delas.



--
hugo lucena theophilo
Cel: 9 9700-8231
facebook: www.facebook.com/hugotheophilo

"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Sobre filhos, pianos e correrias

Ele liga o piano, começa a brincar e, de repente, me vejo estático, em pé, ouvindo de longe, esperando a próxima nota e a próxima e a próxima...como quem contempla as variações do vento: respirando devagar para não perder nuances. Repreendi o tic tac do relógio como quem repreende demônios. Dane-se o carimbo de atraso! Tenho um piano e um filho que são amigos.

hugo
03/06/2015

Read more...

terça-feira, 28 de abril de 2015

Oficina dia 09 de Maio - Do lixo da cozinha à horta de pé de parede




De todas as oficinas da série "Do meu lixo cuido eu", que faço aqui em casa, a que mais gosto é essa introdutória. Ela tem muitos nomes: "Transformando lixo em comida", ou "Do lixo da cozinha à horta de pé de parede", ou "Transformando a prisão em jardim", ou "Ensinando o filho a comer plantas", ou "Para um mundo imposto, um mundo oposto". 

Nessa oficina apresento a minha casa, todas as ações feitas e componentes implementados: manejo do lixo da cozinha, galinheiro, compostagem, minhocário, berçário de mudas, jardim, aquaponia, criação de abelhas nativas, as idéias de horta vertical, captação de água da chuva, comidas feitas com alguns ingredientes daqui e/ou vindos de fora da cadeia do supermercado e, ainda, as conexões que esses elementos estabelecem entre si, deixando a casa (e a vida) um pouco mais sadia, biodiversa, bonita, cheirosa e gostosa. Por ser a oficina mais ampla e abrangente, é a mais inspiradora. Entre tantas coisas, as pessoas provam mel que nasce em casa, sentem cheiro de uma colmeia de abelhas sem ferrão, cheiram hortelã-japonês, conhecem a super máquina que transforma lixo em comida e adubo, e, ainda presenciam um número da fantástica criança que come plantas! rsrs. É impossível passar por essa experiência de tantos cheiros, sabores e saberes sem levar mil ideias para aplicar em casa ou nos mais diversos lugares.

A oficina acontecerá no Mondubim dia 09 de Maio (um sábado) das 16h às 19hInscrição 30,00 (trinta reais) por pessoa. Como no dia não vou poder ficar recebendo dinheiro, peço que façam os depósitos com antecedência e já cheguem aqui inscritos, ok? Entrem em contato por email/telefone/facebook para saber os meios de pagamento. Ao final das inscrições todos receberão um e-mail com endereço e detalhes de como chegar.

No dia da oficina sempre tem mudas à venda e também kits de compostagem. Cada mudinha custa em média R$ 3,00 e cada kit de compostagem custa R$ 50,00 e já vai com minhocas.

Abaixo fotos que falam melhor do que eu.

"Num mundo imposto, comida vira lixo. Num mundo oposto, lixo vira comida. Para um mundo imposto, um mundo oposto."

Abraço

hugo theophilo
Tel: 85 9700-8231


"Mais uma oficina do Hugo Lucena: do lixo da cozinha à horta de pé de parede. Mais informações valiosas, mais ideias, mais incômodos bons, mais decidida a não comer veneno, a maior romã que eu já tinha visto, mel de jandaíra direto do favo, galinheiro que não tem cheiro ruim, minhocário onde a vida brota naturalmente, a incrível criança que come planta, vários ciclos interligados e se retroalimentando em harmonia. Difícil continuar na mesmice depois de ter contato com tudo isso. O lixo virando comida. O lixo virando vida."

Diana Moreira - Nutricionista escolar e futura dona de uma horta de pé de parede.

Kits de compostagem com minhocas (R$ 50,00 cada kit)

--
hugo lucena theophilo
http://hugotheophilo.blogspot.com
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

domingo, 26 de abril de 2015

Impressões sinceras me interessam



"Mais uma oficina do Hugo Lucena: do lixo da cozinha à horta de pé de parede. Mais informações valiosas, mais ideias, mais incômodos bons, mais decidida a não comer veneno, a maior romã que eu já tinha visto, mel de jandaíra direto do favo, galinheiro que não tem cheiro ruim, minhocário onde a vida brota naturalmente, a incrível criança que come planta, vários ciclos interligados e se retroalimentando em harmonia. Difícil continuar na mesmice depois de ter contato com tudo isso. O lixo virando comida. O lixo virando vida."

Diana Moreira - Nutricionista escolar e futura dona de uma horta de pé de parede.

Read more...

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Oficina dia 25 de Abril - Do lixo da cozinha à horta de pé de parede


De todas as oficinas da série "Do meu lixo cuido eu", que faço aqui em casa, a que mais gosto é essa introdutória. Ela tem muitos nomes: "Transformando lixo em comida", ou "Do lixo da cozinha à horta de pé de parede", ou "Transformando a prisão em jardim", ou "Ensinando o filho a comer plantas", ou "Para um mundo imposto, um mundo oposto". 

Nessa oficina apresento a minha casa, todas as ações feitas e componentes implementados: manejo do lixo da cozinha, galinheiro, compostagem, minhocário, berçário de mudas, jardim, aquaponia, criação de abelhas nativas, as idéias de horta vertical, captação de água da chuva, comidas feitas com alguns ingredientes daqui e/ou vindos de fora da cadeia do supermercado e, ainda, as conexões que esses elementos estabelecem entre si, deixando a casa (e a vida) um pouco mais sadia, biodiversa, bonita, cheirosa e gostosa. Por ser a oficina mais ampla e abrangente, é a mais inspiradora. Entre tantas coisas, as pessoas provam mel que nasce em casa, sentem cheiro de uma colmeia de abelhas sem ferrão, cheiram hortelã-japonês, conhecem a super máquina que transforma lixo em comida e adubo, e, ainda presenciam um número da fantástica criança que come plantas! rsrs. É impossível passar por essa experiência de tantos cheiros, sabores e saberes sem levar mil ideias para aplicar em casa ou nos mais diversos lugares.

A oficina acontecerá no Mondubim dia 25 de Abril (um sábado) das 16h às 19hInscrição 30,00 (trinta reais) por pessoa. Como no dia não vou poder ficar recebendo dinheiro, peço que façam os depósitos com antecedência e já cheguem aqui inscritos, ok? Entrem em contato por email/telefone/facebook para saber os meios de pagamento. Ao final das inscrições todos receberão um e-mail com endereço e detalhes de como chegar.

No dia da oficina sempre tem mudas à venda e também kits de compostagem. Cada mudinha custa em média R$ 3,00 e cada kit de compostagem custa R$ 50,00 e já vai com minhocas.

Abaixo fotos que falam melhor do que eu.

"Num mundo imposto, comida vira lixo. Num mundo oposto, lixo vira comida. Para um mundo imposto, um mundo oposto."

Abraço

hugo theophilo
Tel: 85 9700-8231

Kits de compostagem com minhocas (R$ 50,00 cada kit)

--
hugo lucena theophilo
http://hugotheophilo.blogspot.com
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

terça-feira, 7 de abril de 2015

Planta-homem: um indivíduo doente

O mundo visto pelas lentes da competição é competitivo. Homens competitivos sustentam que as plantas também competem. Os mesmos homens também sustentam que a sua espécie é a única que pensa e tem consciência da própria morte. Com lentes rachadas se enxerga o mundo rachado. Fossem as plantas a falar dos homens, diriam que são a única espécie que não pensa! Tente cultivar uma planta na sua janela e verá que o paradigma da competição é falso. Plantas cooperam. Individualize a existência de uma planta, tal como é a existência daqueles homens, e verá que ela fica mais frágil. Quanto mais sozinha, atomizada, individualizada e fora de contexto for uma planta, ou seja, quanto mais parecida com aqueles homens ela for, mais frágil e suscetível a doenças ela será. A única maneira de manter uma planta assim "viva" é fazendo uso de produtos químicos, seja pra "suprir" a sua incapacidade de se alimentar adequadamente, seja para "defendê-la" de qualquer outra forma de vida que tente encostar nela. Não existe planta doente, existe planta sozinha. Qualquer semelhança com a sua espécie não é mera coincidência.

--
hugo lucena theophilo
http://hugotheophilo.blogspot.com
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

terça-feira, 31 de março de 2015

Oficina 11/Abril: Agricultura doméstica e compostagem em pequenos espaços



Dando sequência à série de oficinas "Do meu lixo cuido eu", a próxima será no dia 11 de Abril (um sábado) das 16h às 19h e terá 2 assuntos centrais: AGRICULTURA DOMÉSTICA E COMPOSTAGEM EM PEQUENOS ESPAÇOSVeremos (com as mãos) possibilidades de cultivar hortaliças e ervas no contexto das nossas casas com todas as suas limitações (de espaço principalmente). Então veremos como fazer hortas de centímetros quadrados, cultivos em pés de parede e até mesmo em paredes. Tudo isso associado à compostagem, também pensada para acontecer em pequenos espaços (inclusive em apartamentos). Esses serão os dois assuntos centrais, mas, como sempre, eles serão atravessados por outros mil assuntos. 

Pretendo continuar mostrando essas ações como derivadas de um manejo mais adequado do lixo doméstico. Ou seja, você diminui a emissão de lixo, faz isso virar adubo por meio da compostagem e, com esse adubo, você começa a transformar a sua casa/varanda/parapeito/janela num jardim (comestível de preferência). 

A oficina acontecerá no Mondubim. A inscrição custa 30,00 (trinta reais) por pessoa. Como no dia não vou poder ficar recebendo dinheiro, peço que façam os depósitos com antecedência e já cheguem aqui inscritos, ok? Entrem em contato por email/telefone/facebook para saber os meios de pagamento. Ao final das inscrições todos os participantes receberão um email com endereço, mapa do lugar e detalhes sobre como chegar. As vagas são limitadas.

No dia estarei vendendo algumas mudas de tomate, manjericão-limão e pimentão, além de alguns kits de compostagem feitos com baldes (foto abaixo). Cada kit custa R$30,00 e um dos baldes já vai com substrato e minhocas.


Abaixo fotos que falam melhor do que eu.

Abraço e até lá

"Num mundo imposto, comida vira lixo. Num mundo oposto, lixo vira comida. Para um mundo imposto, um mundo oposto."

hugo theophilo
Tel: 85 9700-8231



Kits de compostagem (já com minhocas) - R$ 50,00



Read more...

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Para um mundo imposto, um mundo oposto.

Sempre me perguntam se é preciso dedicar muito tempo a um mundo oposto para ele começar a aparecer, virar algo palpável e se transformar em espaços de vida onde se possa respirar um pouco. Como toda a nossa agenda está dedicada a um mundo imposto, é comum pensarmos que seria preciso empregar, no mínimo, o mesmo tempo a algo diferente para que isso tomasse, pelo menos, a mesma proporção do que já existe. Até hoje, eu sempre respondi a essa pergunta dizendo que não! Nem de longe é preciso dedicar o mesmo tempo e nem muito tempo. Com cinco minutos diários dedicados a alguma atividade conectada aos ciclos da vida, você vai perceber que ela naturalmente desencadeia muitas outras. Se, por exemplo, você para de usar sacola plástica pra colocar "lixo" da cozinha, isso te leva a precisar de alguns bichos para processarem esse "lixo", ai você começa a brincar de compostagem, depois de minhocário, depois de criar duas galinhas, de repente você descobre que o seu lixo diminuiu drasticamente e que você tem uma máquina que transforma lixo em comida e adubo; e que agora você pode brincar de jardim, e a sua casa começa a mudar de cor, começa a ter cheiro, sabor e começa a ser frequentada por passarinhos, borboletas, joaninhas, abelhas...e você descobre que o seu filho gosta de te acompanhar nessas brincadeiras, de se relacionar com todos os bichos, de entender todos os ciclos, de sentir todos os cheiros e de comer todas as plantas; e todo o trabalho que você tem é ficar fazendo conexões, ligando uma brincadeira à outra: o resultado dessa brincadeira vai pra lá, o dessa vem pra cá, essa se liga com aquela, que se liga com a outra, que se liga com a outra...O lixo da cozinha vai pro galinheiro, que vira ovo (que a gente come quando acorda) e esterco que as minhocas transformam em húmus, que vai pro jardim, que embeleza a casa e serve de comida e abrigo, inclusive para as abelhas que fazem mel e a gente toma quando acorda e...

...voltando...Eu dizia que a minha resposta era não. Não precisa de muito tempo. O que começou com cinco minutos por dia, depois de tudo isso precisa só de uns quinze. Esses dias li um velho que manja dessas coisas dizendo o seguinte: "Há algo que não tem sido ensinado: que uma vez que fazemos algo corretamente, isso vai em frente e faz um monte de outras coisas por si só." (Bill Mollison).

Ai está explicado porque não precisa de muito tempo.

Um pão de fermentação lenta, feito em casa com fermento natural é um grande exemplo dessas coisas que você só começa com bem pouco tempo e elas vão lá, continuam por si, fazem todo o resto sozinhas e ainda te presenteiam com cheiros, sabores, saúde e vida.

Num mundo imposto, comida vira lixo. Num mundo oposto, lixo vira comida. Para um mundo imposto, um mundo oposto.


Milho de pé de parede e ovo de quintal sem dinheiro, sem gasolina e sem veneno. 
O pão não fui eu que fiz. Eu só misturei os ingredientes e liguei o forno 8 horas depois.

--
hugo lucena theophilo
http://hugotheophilo.blogspot.com
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Calabouço na TVOpovo 29.01.2015

Talvez exista um jardim que seja só um jardim. O meu não é. É um emaranhado de sentidos, relações e incômodos. Literalmente, eu fiz um jardim pra conseguir dormir. A rede armada nele não é à toa. Mas não dá pra explicar aqui. Aliás, não dá pra explicar, só dá pra mostrar. Todo dia tem café com pão de casa ou tapioca. É só chegar.


-- 
hugo lucena theophilo
http://hugotheophilo.blogspot.com
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich 

Read more...

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Carta do mundo dos mortos para um amigo


Há exatamente 5 reveillons eu estava numa praia. Como sempre, foi um saco. Todos só falavam em cerveja e futebol. Eu caí na besteira de querer conhecer esse tal de Ivan Illich que você falava e imprimi "O direito ao desemprego criador" para ler no feriado. Tudo o que eu fazia era ler ao lado do meu filho enquanto ele dormia. Ele tinha 3 meses. Eu leio muito devagar, mas li aquilo nos dois dias que fiquei lá. Os papeis viraram lixo de tanto que risquei. Eu estava espantado. Eu não acreditava como havia caído tão bem no conto do vigário. Até ali eu já suspeitava de muita coisa, mas foi a primeira vez que me percebi completamente atolado e preso, e como eu tinha ido voluntariamente para cada uma das prisões, e como celebrava cada uma delas, e como ostentava as minhas algemas como se fossem adornos! Puta que pariu! Ainda naqueles dias durante a leitura, esse incômodo passou a latejar na minha cabeça: "Como eu vou conseguir sentar naquela cadeira segunda-feira? Como eu vou conseguir usar aquela coleira?". Eu tinha 32 anos e aquela era a pior leitura que eu já havia feito. Descobri que eu era um merda. Para não enlouquecer precisei buscar linhas de fuga, ou criá-las. Eu só pensava nisso. Eu precisava achar ou inventar espaços onde pudesse respirar. Durante a festa me afastei e orei sozinho por isso. Não tem sido fácil e as coisas só pioram. Uma ação pede outras. Uma crise desencadeia outras. Esse troço não tem fim. Dormir e sonhar é mais fácil. A sorte é que é prazeroso construir a vida com as próprias mãos e colher frutos.
--

hugo lucena theophilo
http://hugotheophilo.blogspot.com
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Senzalas pós-mordenas

Esses dias dormi no século XIX, numa fazenda de café construída e mantida com mão-de-obra escrava. Um lugar de difícil acesso. Construção de uma dificuldade inconcebível. Paredes de largura impensável! Aquele povo trabalhava para levantar as paredes do seu próprio confinamento! Sai de lá e cheguei em casa dois séculos depois. Mutatis mutandis, as semelhanças são horrivelmente incríveis.


Mais alguém percebe?


--
hugo lucena theophilo
http://hugotheophilo.blogspot.com
"Cada um de nós, e cada um dos grupos em cujo seio vivemos e trabalhamos, deve se tornar o protótipo da era que desejamos criar." - Ivan Illich

Read more...

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP